8 - Praia de Pedras Muitas

Município de Peniche

Como chegar: 39°22'23"N 9°19'35"W

As pedras do Jurássico dão nome a esta praia

 

GEOLOGIA

Nas arribas desta praia, os sedimentos das rochas foram depositados por rios, há cerca de 150 milhões de anos (Jurássico Superior). Neles são visíveis muitos pedaços de troncos incarbonizados mostram a riqueza vegetal destes ambientes. Raramente, é possível ver algumas folhinhas dessas plantas.

Nestas camadas têm sido encontrados vários fósseis de dinossauro, normalmente muito partidos, como ossos longos e da bacia. Ossos mais pequenos e frágeis desses esqueletos podem ter sido transportados pelas correntes dos rios, mais para junto da sua foz, ou muito partidos e já não são reconhecíveis.

 

BIOLOGIA

Ao caminhar por esta praia na maré baixa, é comum encontrar pequenas cavidades com água salgada, por entre as muitas rochas que ficam expostas. Estas poças chama-se poças de maré e são abrigo para muitas espécies marinhas durante a maré baixa, como a Anémona-Comum (Anemonia viridis), a Estrela-Do-Mar-Espinhosa-Comum (Marthasterias glacialis), o Burrié (Monodonta lineata) e o Percebe (Pollicipes pollicipes). Também, funcionam como berçário de muitos peixes, como a Ranhosa (Lipophrys pholis).



CULTURA

O nome desta praia (Pedras Muitas) mostra a importância que as populações locais sempre deram à presença e às tonalidades intensas das rochas destas arribas. O seu nome vem do facto de esta praia ter uma grande acumulação de rochas junto à arriba.

Ainda que seja uma prática cada vez menos frequente, é normal ver pescadores passarem horas a vasculhar estas rochas, na maré baixa. Eles procuram polvos, navalheiras, lapas e mexilhões, mas também pequenos vermes que usam para a pesca à linha.